Curitiba:

Rua Pedro Collere, 35, esquina com Av. Presidente Getúlio Vargas

São Paulo (Unidade 1):

Av. Pedroso de Morais, 2350 - Alto de Pinheiros

São Paulo (Unidade 2):

Av. Pedroso de Morais, 1619 - cj 309

Pós-Operatório

Ao término da cirurgia de FUE não há necessidade de se colocar curativo oclusivo. O paciente deve borrifar a área transplantada com soro fisiológico 0.9% a cada hora por 3 dias. Ao paciente é receitado analgésico e antiinflamatório para aliviar eventuais dores ou desconfortos nas duas noites seguintes à cirurgia. O paciente deve permanecer em repouso por mais 72 horas, a fim de evitar edema.

Em casa o paciente deve usar compressas frias na região das sobrancelhas por mais 24 horas e dormir em posição semi-sentado ( 45 graus ) por 5 dias subsequentes ao procedimento cirúrgico, para também impedir a formação de edema. Se este ocorrer, as compressas frias devem ser mantidas, assim como a elevação da cabeça, até que desapareça.

Pequenas crostas se formam no local do transplante. Elas podem ser camufladas penteando os cabelos, nos casos de calvícies iniciais. Estas crostas caem com cerca de 10 a 12 dias após a cirurgia. Se coçar, um anti-histamínico é receitado. Os novos fios transplantados caem dentro de 3 a 4 semanas, porém as raízes permanecerão e darão origem aos novos fios, que começarão a aparecer a partir de 3 meses da cirurgia.

O paciente receberá todas as orientações de uma enfermeira, no pós-operatório imediato.  Caso o paciente ainda permaneça com dúvida deverá entrar em contato conosco.

Complicações

Complicações são raras. Pequenas foliculites podem ocorrer na área transplantada, similares a um pêlo encravado ou uma espinha. Isto ocorre porque junto de todo pêlo existe uma glândula sebácea, e esta retoma suas funções de produção de sebo antes do crescimento dos novos cabelos. Sem o pêlo para direcionar a eliminação deste sebo, pode haver a formação de um pequeno cisto. Este não é sinal de infecção. Geralmente estas foliculites devem ser drenadas, e respondem facilmente à antissépticos tópicos. Porém, se notar a presença de hiperemia ( vermelhidão ), inchaço, hipersensiblidade ou pus, entre em contato com a Clínica Muricy. Estes são sinais de que pode estar ocorrendo o início de um quadro infeccioso e o paciente precisará ser medicado. Se ocorrer sangramento, aplicar pressão constante sobre a área por 10 a 15 minutos, sem retirar a gaze. Se o mesmo continuar, entre em contato com a clínica. Nas calvícies de graus iniciais, onde os pacientes tem ainda muito cabelo, pode ocorrer um pequeno eflúvio telógeno, ou seja, uma pequena queda capilar pelo trauma cirúrgico na região. Estes cabelos voltam a crescer junto com os fios transplantados.

Outras recomendações

A rotina poderá ser retomada apenas 72 horas após a cirurgia. Para facilitar a cicatrização, deixar a área transplantada exposta o quanto for possível, mas não diretamente ao sol. Nos primeiros quinze dias que se seguem a cirurgia, deve-se evitar trabalhos pesados, atividades esportivas e levantamento de peso. Banhos de mar e piscina também devem ser evitados por trinta dias. As orientações do cirurgião para de revisões devem ser seguidas e em caso de dúvidas ou anormalidade, a equipe da Clínica Muricy está a disposição. Basta manter contato.

Lembre-se que os cabelos transplantados começarão a crescer em aproximadamente três meses e serão permanentes.

Informação
A enfermeira orienta o paciente para os cuidados do pós-operatório imediato